Nunca é demais ler mensagens que falam do amor e da bondade de Jesus. Sempre vamos encontrar uma lição que estamos precisando ou que nos servirá em algum momento de dificuldade. Selecionamos textos inspiradores que demonstram que Jesus tem um cuidado especial com cada um de nós. Confira e deixe seus comentários abaixo.

 

1) PEGADAS NA AREIA

Uma noite eu tive um sonho…
Sonhei que estava andando na praia
com o Senhor
e no céu passavam cenas de minha vida.
Para cada cena que passava,
percebi que eram deixados dois pares
de pegadas na areia:
um era meu e o outro do Senhor.
Quando a última cena da minha vida
passou diante de nós, olhei para trás,
para as pegadas na areia,
e notei que muitas vezes,
no caminho da minha vida,
havia apenas um par de pegadas na areia.
Notei também que isso aconteceu
nos momentos mais difíceis
e angustiantes da minha vida.
Isso aborreceu-me deveras
e perguntei então ao meu Senhor:

– Senhor, tu não me disseste que,
tendo eu resolvido te seguir,
tu andarias sempre comigo,
em todo o caminho?
Contudo, notei que durante
as maiores tribulações do meu viver,
havia apenas um par de pegadas na areia.
Não compreendo por que nas horas
em que eu mais necessitava de ti,
tu me deixaste sozinho.

O Senhor me respondeu:
– Meu querido filho.
Jamais te deixaria nas horas
de prova e de sofrimento.
Quando viste na areia,
apenas um par de pegadas,
eram as minhas.
Foi exatamente aí,
que te carreguei nos braços.

Margaret Fishback Powers


2) AMIGO FIEL

Ruth, olhou em sua caixa de correio, mas só havia uma carta. Pegou-a e olhou antes de abri-la, mas logo a olhou com mais cuidado.
Não havia selo nem marcas do correio, somente seu nome e endereço. A carta dizia:

“Querida Ruth: Estarei próximo de sua casa no sábado a tarde e passarei para visitar-te. Com amor, Jesus.”
Suas mãos tremiam quando colocou a carta sobre a mesa.

“Porque o Senhor vai querer visitar-me? Não sou ninguém especial, não tenho nada para oferecer-lhe…”

Pensando nisso, Ruth recordou o vazio reinante nas estantes de sua cozinha.
Ai, não! Não tenho nada para oferecer-lhe! Terei que ir ao mercado e comprar alguma coisa para o jantar.
Buscou a carteira e verificou o conteúdo sobre a mesa: R$ 4,12.

“Bom, comprarei pão e alguma outra coisa, pelo menos…”

Colocou um casaco e se apressou em sair.
Um pão francês, um pouco de peru e uma caixa de leite…
Ruth ficou somente com R$ 0,02 que lhe deveriam durar até na segunda-feira. Mesmo assim, se sentiu bem, saiu a caminho de casa com sua humilde compra debaixo do braço.

“Olá, senhora! Pode nos ajudar?”

Ruth estava tão distraída pensando no jantar, que não viu as duas pessoas que estavam de pé no corredor. Um homem e uma mulher, os dois vestidos com pouco mais que farrapos.
“Olhe, senhora, não tenho emprego, você sabe, e minha mulher e eu temos vivido ali fora na rua e, bom, está fazendo frio e estamos sentindo fome, e bom, se a senhora pudesse nos ajudar, ficaríamos muito agradecidos…

Ruth olhou para eles com mais cuidado. Estavam sujos e tinham mal odor e, francamente, ela estava segura de que eles poderiam conseguir algum emprego se realmente quisessem.
“Senhor, eu queria ajudar, mas eu mesma sou uma mulher pobre. Tudo que tenho são umas fatias de pão, mas tenho um hospede importante para esta noite e planejava servir isso a Ele”.
“Sim, bom, sim senhora, entendo. De qualquer maneira, obrigado.”

O homem colocou o braço em volta dos ombros da mulher e se dirigiram para a saída. A medida que os via saindo, Ruth sentiu um pulsar familiar em seu coração.
“Senhor, espere!”

O casal parou e voltou a medida que Ruth corria para eles e os alcançava na rua.
“Olhe, quer aceitar este lanche? Conseguirei algo para servir ao meu convidado” e estendeu a mão com o pacote contendo o lanche.
“Obrigado senhora, muito obrigado.”
“Obrigada”, disse a mulher e Ruth pode perceber que ela estava tremendo de frio.
“Sabem, tenho outro casaco em minha casa, tome este.”

Ruth desabotoou seu casaco e o colocou sobre os ombros da mulher e sorrindo voltou a caminho de casa… sem seu casaco e sem nada para servir ao seu convidado.
Ruth estava tremendo de frio quando chegou na porta. Agora não tinha nada para oferecer ao Senhor. Procurou a chave rapidamente na bolsa enquanto notou outra carta na caixa de correio.

Que raro, o carteiro nunca vem duas vezes em um dia. Pegou a carta e abriu-a:
“Querida Ruth, foi bom vê-la novamente. Obrigado pelo delicioso lanche e obrigado também pelo esplêndido casaco. Com amor, Jesus.”
O ar contudo estava frio, mas ainda sem seu abrigo, Ruth nem percebeu.

Autor Desconhecido
Conhece o autor desta obra? Informe nos comentários!

 


3) O PADRE QUE QUERIA VER JESUS

Havia um padre que orava constantemente, pedindo para ver Jesus, que o Pai lhe concedesse essa graça.
Ele e os demais padres residentes no convento, eram muito piedosos e caridosos e faziam sempre o bem aos que necessitavam.

Todos os dias, às três horas da tarde, os portões do convento eram abertos ao som de uma sineta e os pobres entravam para o pátio afim de serem atendidos nas suas necessidades.
Um dia, depois do almoço, o bom padre novamente orou a Deus, pediu, como sempre fazia, a oportunidade de ver Jesus, conversar com Ele, nem que fosse um pouquinho.
Estava ajoelhado, quando percebeu que sua pequenina cela ficou totalmente iluminada e Jesus lhe apareceu.

O padre bem velhinho, não cabia em si de alegria e de felicidade. Imagine só, Jesus ali com ele; ia então conversar com o Mestre, quando a sineta do convento soou, chamando todos os padres para socorrer e ajudar os irmãos infelizes.

O padre vacilou por um instante, não sabendo se ia ou ficava ali com Jesus.
Mas, resolveu ir pois precisava atender o seu próximo. Foi então, com o coração triste, pois dizia ele, quando voltasse não o encontraria mais ali, mas tinha o seu trabalho, pensava e deixou Jesus sentado em sua cela.

Atendeu a todos com o mesmo amor e bondade de sempre e quando se retiraram todos, o padre volta para a sua cela.
Vem ainda sentindo seu coração triste por não ter podido estar com Jesus, porém quando chegou a sua cela, a vê mais iluminada ainda e espantado vê também Jesus que esperava por ele.

Chorando, feliz e agradecido, atirou-se aos pés de Jesus e entre lágrimas diz : “Mestre, tu aqui? Não fostes embora? Esperaste todo este tempo por mim? E Jesus passando suas mãos compassivas por seus cabelos brancos lhe respondeu meigamente:
“Irmão querido, se tu ao ouvir a sineta chamando-te para as obrigações com aquele que sofre, tivesses aqui permanecido, eu é que teria saído”.

Autor Desconhecido
Conhece o autor desta obra? Informe nos comentários!

 


4)OI JESUS EU SOU O ZÉ

Cada dia, ao meio dia, um pobre velho entrava na igreja e, poucos minutos depois, saía. Um dia, o sacristão lhe perguntou o que fazia, pois havia objetos de valor na igreja.
Venho rezar, respondeu o velho.

Mas é estranho, disse o sacristão, que você consiga rezar tão depressa.
Bem, retrucou o velho, eu não sei rezar aquelas orações compridas. Mas todo dia, ao meio dia, eu entro na igreja e falo:
“Oi Jesus, eu sou o Zé. Vim visitar você.”

Num minuto, já estou de saída. É só uma oraçãozinha, mas tenho certeza que Ele me ouve.
Alguns dias depois, Zé sofreu um acidente e foi internado num hospital. Na enfermaria, passou a exercer grande influência sobre todos.
Os doentes mais tristes tornaram-se alegres e, naquele ambiente onde antes só se ouviam lamentos, agora muitos risos passaram a ser ouvidos.

Um dia, a freira responsável pela enfermaria aproximou-se do Zé e comentou: Os outros doentes dizem que você está sempre tão alegre, Zé…
O pobre enfermo respondeu prontamente: É verdade, irmã. Estou sempre muito alegre! E digo-lhe que é por causa daquela visita que recebo todos os dias. Ela me faz imensamente feliz.
A irmã ficou intrigada. Já tinha notado que a cadeira encostada na cama do Zé estava sempre vazia. Aquele velho era um solitário, sem ninguém.

Quem o visita? E a que horas? Perguntou-lhe.
Bem, irmã, todos os dias, ao meio dia, Ele vem ficar ao pé da cama por alguns minutos, talvez segundos… Quando olho para Ele, Ele sorri e me diz:
“Oi Zé, eu sou Jesus, vim te visitar”.

Autor Desconhecido
Conhece o autor desta obra? Informe nos comentários!


Gostou da seleção? Deixe um comentário abaixo! Sua opinião é muito importante para nós e possibilita a edição de assuntos voltados cada vez mais para os seus interesses.

Tags:

COMENTÁRIOS (2)

O seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios ;)

* Pergunta anti-Spam,