Claro, elas parecem não ser grande coisa agora. Mas tenha cuidado com essas 6 causas de arrependimento futuro.

 

Uma pesquisa recente da Allianz Life Insurance Company descobriu que cerca de um terço (32%) dos americanos se arrependem das principais escolhas em suas vidas.

Mas que tipo de consequências essas decisões têm no longo prazo? Possivelmente grandes, dizem os especialistas. Aqui estão algumas coisas importantes que você pode estar fazendo agora e provavelmente vai se arrepender em uma década ou mais.

mensagens-apaixonantes4

1. Desistir de relacionamentos românticos

Muitas pessoas se arrependem de terminar relacionamento com os amigos ou parceiros românticos, diz Gail Saltz, professora de psiquiatria no New York Presbyterian Hospital Weill-Cornell School of Medicine. Um relacionamento não vivido é uma grande fonte de pesar entre as pessoas. Parceiros românticos, com foco em suas carreiras por exemplo, podem encontrar dificuldades em manter as prioridades da relação e fazer sacrifícios pelo outro.

“Dependendo da idade em que se está vivendo, muitas pessoas sentem que não deveriam ter que fazer concessões para a outra pessoa, e assim elas não fazem”, diz Gail. Mais tarde, essas pessoas podem ter uma grande carreira, mas lamentarão por não terem se esforçado mais para fazer o relacionamento funcionar, diz ela.

frases-de-amizade-para-status2

2. Negligenciar amizades

Enquanto amizades perdidas são, muitas vezes, consideradas sem importância em comparação com parceiros românticos, sua perda pode ser igualmente dolorosa e lamentável, diz Neal Roese, PhD, professor na Northwestern University.

Quando você passa muitas horas no trabalho e deixa as amizades de lado, você está se preparando para o arrependimento. Roese é co-autor de vários estudos sobre arrependimentos e diz que não ter tempo para manter amizades é um grande problema, especialmente porque pode ser mais difícil fazer novas amizades profundas com o passar dos anos.

frases-budistas

3. Ser sedentário

É fácil acabar sentado o dia todo, em casa ou no trabalho. No entanto, não ter tempo para fazer exercícios físicos regularmente pode afetar tudo, de sua saúde física até a sua saúde mental . À medida que envelhecemos, estabelecer o hábito de fazer exercícios regularmente é ainda mais importante.

Um estudo de março 2016 na edição on-line de Neurology mostra que a prática de exercícios regulares pode retardar o envelhecimento do cérebro por até 10 anos. Saltz diz que muitas pessoas não sabem, mas deixar de praticar exercícios na juventude pode trazer conseqüências com o passar dos anos. “É uma antiga crença, profundamente enraizada, de que o jovem é invencível, ou vai ser jovem para sempre”, diz ela.

bom-dia-segunda-feira3

4. Deixar a saúde de lado

Da mesma forma, Saltz diz que ficar de olho na saúde e ter uma rotina de check-ups, tais como pressão arterial, colesterol e outros, é importante no longo prazo. Se você não está juntando um histórico de saúde e, só quando surge um problema consulta o médico, há riscos de faltar sinais de alerta importantes. Muitos tratamentos são por tempo limitado, e a detecção precoce pode fazer uma grande diferença nos resultados, diz ela.

perdao6

5. Ignorar o stress

Vivemos sob uma variedade de pressões, que  podem levar a uma série de comportamentos e problemas relacionados ao estresse, diz o especialista em estresse Mary Wingo.

Há ainda evidências de que, o estresse prolongado, pode predispor as pessoas a doenças mentais. Wingo diz que é importante encontrar formas de atenuar o estresse antes que ele cause danos.

“Junte-se a  um terapeuta, grupo de auto-ajuda, etc. e liste cada fator de estresse”, aconselha Wingo. Em seguida, faça um esforço consciente (da mesma forma que você faria se estivesse em uma dieta ou parando de fumar)  para eliminar o máximo de fatores de estresse que você pode, diz.

Adotar hábitos para o alívio de estresse, como a meditação, exercícios e outras práticas que são úteis, ajuda bastante.

culpa22

6. Não tomar decisões por medo de assumir riscos

Seja por medo de não ganhar dinheiro suficiente, desaprovação dos outros ou demais preocupações, muitas pessoas deixam o medo tomar conta quando se trata de tomar decisões, o que é uma fonte comum de pesar, diz Hal Shorey, PhD , professor associado do Instituto de Pós-Graduação Psicologia clínica na Universidade Widener.

Em vez de assumir riscos saudáveis e seguir suas paixões ou intuição, algumas pessoas temem que não vão atender a certos padrões que eles, ou outros, criaram e fazem escolhas que não são realmente boas para si.

Claro, não é possível traçar uma estratégia para uma vida livre de pesar e alguns arrependimentos são maiores do que outros. No entanto, Roese diz que prestar atenção às áreas onde a pesquisa nos mostra que a maioria das pessoas tem arrependimentos pode nos ajudar a ser mais conscientes sobre as nossas escolhas.

Nutrir amizades, ter tempo para as pessoas importantes em sua vida, cuidar da sua saúde, estar ciente de seu próprio sistema de valores e o que importa para você também pode ajudá-lo a tomar decisões mais livre de pesar.

Diz Roese:

Alguns arrependimentos só nos resta superar. Racionalizar ou explicá-los.Mas outras coisas perduram. Eu acho que a questão-chave  é, digamos que você tenha chegado ao fim da sua vida, ou talvez você está no seu leito de morte. Quais são os arrependimentos que você teria? Esta pode ser uma receita para a melhor forma de viver a sua vida.

Que tal dar uma olhadinha em 5 dicas pra vencer seus medos e conquistar tudo o que você sonhou? Veja clicando aqui.

Via


Gostou da seleção? Deixe um comentário abaixo! Sua opinião é muito importante para nós e possibilita a edição de assuntos voltados cada vez mais para os seus interesses.

Tags:

COMENTÁRIOS

O seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios ;)

* Pergunta anti-Spam,