Apesar do que diz a música “Amigos para sempre é que nós devemos ser…” a grande verdade é que, às vezes, as amizades acabam.  Uma pesquisa recentemente confirmou esse triste fato: Mais da metade das amizades escolares não duram sequer um ano.  Mas, como saber se essa amizade é boa? Às vezes é óbvio: um amigo que rouba seu dinheiro ou seu namorado(a), claramente não é uma boa influência. O problema é que, outras vezes não é tão óbvio. Estas 6 perguntinhas, elaborada pela psicologa Dr. Ellen Hendriksen, vão te ajudar a entender quando uma amizade não está tão legal assim, espia:

1. É uma amizade genuína ou existe algum interesse por trás?

Às vezes as pessoas se aproximam de você apenas pelo que você pode fazer por elas.

Os sinais de alerta devem ser ligados para amigos que toda hora querem te vender alguma coisa, sempre pedem dinheiro ou mantêm com você uma relação baseada na troca de favores,  tipo: “Você me deve porque eu cuidei de seu cão.”

Amigos assim, rapidinho cruzam a linha entre amizade e interesses.

Avalie friamente sua amizade e veja se você está sendo usado ou, quem sabe, até mesmo usando alguém. 

2. Essa amizade te leva para hábitos não saudáveis?

Um famoso estudo britânico de 2007 rastreou que a obesidade está profundamente ligada as “conexões sociais” de uma pessoa. O estudo verificou mais de 12.000 casos e destacou que os laços sociais são determinantes para o comportamento saudável ou não.

Por exemplo: hábitos psicológicos ruins como colocar o outro para baixo ou se queixar sempre de tudo podem se espalhar para todo mundo no grupo.

O problema fica mais sério quando você está lutando contra um problema dependência,  porém, esse problema é normalizado por seu grupo amigos. (“Se todos os meus amigos bebem até cair, porque isso é errado?”) .

Se seu amigo puxa você para baixo, pressiona você a beber ou fumar depois de ter deixado claro que você está tentando mudar ou, de outra forma, ridiculariza suas tentativas de cuidar de si mesmo pode ser hora de se distanciar.

3. Você está sendo manipulado?

É muito difícil identificar se você está ou não sendo manipulado mas há pistas.

Por exemplo: Quando sua relação amizade está confusa, difícil de explicar. Você não sabe o que responder quando os outros te perguntam sobre essa amizade. A frase, “é complicado”, é o melhor que você consegue responder.

Sem perceber, você mudou para pior com essa amizade (menos feliz, menos seguro, menos confiante) mas, mesmo assim, você é o único que pede desculpas nessa relação.

Seu amigo faz você sentir que está sempre fazendo algo errado. Caso você pergunte “o que eu fiz de errado?” e a resposta for o “silêncio” ou algo evasivo, te deixando mais confuso, pode ser um sinal de manipulação.

Qualquer uma dessas pistas podem ser sinais de manipulação emocional.

4. Você está fazendo todo o trabalho nesse relacionamento?

Isto soa familiar?

Imagine agora você justificando um comportamento egoísta de alguém: “Tenho certeza de que ele pretendia limpar a bagunça que deixou quando pediu emprestado meu carro, provavelmente estava ocupado”. No final, quem vai acabar limpando a bagunça do seu amigo? Você, é claro!

Você é o único que cria todas as idéias, faz todos os planos nessa relação, porém muda os planos facilmente se eles não estão convenientes para seu amigo: “Oh, você decidiu sair com outras amigas hoje à noite? Hmm, claro, podemos reagendar.”

Se você está fazendo todo o trabalho no relacionamento, você é um empregado, não um amigo. É hora de considerar entrar em greve.

5. Você pode contar com o outro?

Pode ser clichê, mas é importante.

Quando se fala em amizade, lembramos de palavras como “recíproca”, “mútua” e “compartilhada”, porém se nenhuma dessas palavras vier à mente quando você pensa “naquela” amizade em particular, talvez seja hora de repensar.

As boas amizades representam um equilíbrio de apoio mútuo. Mesmo as diferenças entre os bons amigos não conseguem desfazer esse equilíbrio.

Naturalmente, ao longo da vida, esse equilíbrio vai mudar para frente ou para trás – você inevitavelmente terá uma grande crise na vida, ao mesmo tempo seu amigo recebe uma promoção, mas os bons amigos sempre estão lá para compartilhar seus sucessos e suas lutas.

Amizades verdadeiras precisam ter aquela confiança de que se precisar, é só chamar.

6. Você pode ser você mesmo?

E por último a melhor pergunta.

Se parar para pensar você nunca é o mesmo em várias situações – você se comporta de forma diferente em uma entrevista de emprego ou quando está visitando sua avó. Já com seus amigos, você se solta, é você mesmo.

Mas, se você esconde quem é de verdade ou sente vergonha de si mesmo ao sair com o seu amigo pode ser hora de tentar outras amizades.

Décadas de pesquisas e milênios de senso comum nos dizem que conectar-se com amigos verdadeiros é uma das melhores coisas que podemos fazer pela nossa saúde e felicidade. Romper com amigos é sempre uma decisão difícil. Na verdade, deve ter havido uma época em que vocês eram bons amigos ou você não estaria relutando tanto para romper.

Agora, amigos vão e virão na sua vida.

Alguns estarão dependo do contexto em que você vive, como um amigo do trabalho ou um amigo da escola. Mas os que serão seus verdadeiros amigos não deverão machucar, manipular ou usar você, nem pressioná-lo a ser alguém que você não é.

Um verdadeiro amigo inspira em você o seu melhor, a ser mais feliz, mais saudável e mais “você mesmo”.

Seu amigo não se encaixou em nenhuma dessas perguntas? Então, valorize esse amigo, pessoas assim são raras na vida da gente e precisam ser guardadas no lado esquerdo do peito! 

Fonte:  matéria com a psicologa Dr. Ellen Hendriksen

Tradução: Businessinsider


Gostou? Deixe um comentário abaixo! Sua opinião é muito importante para nós e possibilita a edição de assuntos voltados cada vez mais para os seus interesses.

Tags:

COMENTÁRIOS

O seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios ;)

* Pergunta anti-Spam,