próximo texto

  • Arthur Schopenhauer
    A amizade verdadeira e genuína

    Do mesmo modo que o papel-moeda circula no lugar da prata, também no mundo, no lugar da estima verdadeira e da amizade autêntica, circulam as suas demonstrações exteriores e os seus gestos imitados do modo mais natural possível.Por outro lado, poder-se-ia perguntar se há pessoas que de fato merecem essa estima e essa amizade. Em todo o caso, dou mais valor aos abanos de cauda de um cão leal do que a cem daquelas demonstrações de gestos.
    A amizade verdadeira e genuína pressupõe uma participação intensa, puramente objetiva e completamente desinteressada no ...
    CONTINUE LENDO...

  • textos do Zen-Budismo
    Carroça

    Um Imperador, sabendo que um grande sábio do Zen estava às portas de seu palácio, foi até ele para fazer uma importante pergunta:
    - Mestre, onde está o Eu?O mestre então pediu-lhe:- Por favor traga-me aquela carroça que está lá.A carroça foi trazida. O sábio perguntou:- O que é isso?- Uma carroça, é claro, - respondeu o Imperador.O mestre pediu que retirasse os cavalos que puxavam a carroça. Então disse:- Os cavalos são a carroça?- Não.O mestre pediu que as rodas fossem retiradas.- As rodas são a carroça?- ...
    CONTINUE LENDO...

  • Autor desconhecido
    Viver como as flores

    – Mestre, como faço para não me aborrecer? Algumas pessoas falam demais, outras são ignorantes. Algumas são indiferentes. Sinto ódio das que são mentirosas. Sofro com as que caluniam.
    – Pois viva como as flores - advertiu o mestre! – Como é viver como as flores - perguntou o discípulo? – Repare nestas flores - continuou o mestre, apontando lírios que cresciam no jardim. – Elas nascem no esterco, entretanto, são puras e perfumadas. Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável, mas não permitem que o azedume da terra manche o frescor ...
    CONTINUE LENDO...

  • Chico Xavier
    No reino das borboletas

    À beira de um charco, formosa borboleta, fulgurando ao crepúsculo, pousou sobre um ninho de larvas e falou para as pequeninas lagartas, atônitas:
    - Não temais! Sou eu... Uma vossa irmã de raça!... Venho para comunicar-vos esperança. Nem sempre permanecereis coladas à erva do pântano! Tende calma, fortaleza, paciência!... Esforçai-vos por sucumbir aos golpes da ventania que, de quando em quando, varre a paisagem. Esperai! Depois do sono que vos aguarda, acordareis com asas de puro arminho, refletindo o esplender solar... Então, não mais vos arrastareis, ...
    CONTINUE LENDO...

  • Bruno J. Gimenes
    Os problemas são campos de energia!

    Vivemos dentro de campos de energias invisíveis aos olhos humanos, os quais são magnetizados com o produto de tudo que pensamos e sentimos. Esses campos afetam os campos vizinhos, com intensidade mais ou menos elevada, de acordo com a afinidade entre as fronteiras.
    Por ação da lei da atração magnética, também atraímos para cada sistema de vida, fatos, situações, coisas, acontecimentos, pessoas que estejam na mesma sintonia e por isso estamos o tempo todo trocando energias em movimentos constantes de dar e receber. E nesse processo de trocas energéticas ...
    CONTINUE LENDO...

  • Autor desconhecido
    As três árvores

    Havia, no alto da montanha, três pequenas árvores que sonhavam o que seriam depois de grandes.
    A primeira, olhando as estrelas, disse:- Eu quero ser o baú mais precioso do mundo, cheio de tesouros.Para tal, até me disponho a ser cortada.
    A segunda olhou para o riacho e suspirou:- Eu quero ser um grande navio para transportar reis e rainhas.
    A terceira árvore olhou o vale e disse:- Eu quero ficar aqui no alto da montanha e crescer tanto que, as pessoas ao olharem para mim, levantem seus olhos e pensem em Deus.
    Muitos anos se passaram, e certo dia vieram três ...
    CONTINUE LENDO...

  • Chico Xavier
    Se eu morrer antes de você

    Se eu morrer antes de você,
    faça-me um favor:Chore quando quiser,Mas não brigue com Deus por Ele haver me levado.Se não quiser chorar, não chore.Se não conseguir chorar, não se preocupe.Se tiver vontade de rir, ria.Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito,Esqueça e acrescente sua versão.Se me elogiarem demais,Corrija o exagero.Se me criticarem demais,Defenda-me.Se me quiserem fazer um santo,Mostre que eu tinha um pouco de santo,Mas estava longe de ser o santo que me pintam.Se me ...
    CONTINUE LENDO...

  • Autor desconhecido
    O processo de mudança

    O processo de mudança interior que leva à verdadeira evolução, é longo, é seguro, porém é doloroso. Cada parte de nós que deixa de reagir, cada pensamento destrutivo e egoístico, que perde a força diante da atitude e da opinião do outro, é um passo importante na direção da Luz.
    Os pensamentos, os sentimentos, as atitudes e as palavras dos outros, que não produzem reações em nós, é um bom sinal. Não é resiliência, é mudança, é evolução. Enquanto houver reação da nossa parte por qualquer atitude, acontecimento ou fatos de outros ou da vida, seja ...
    CONTINUE LENDO...

  • textos do Zen-Budismo
    A Falsa Prisão

    Em um mosteiro Zen, um monge novato estava agindo de forma rebelde às normas do local, causando um certo tumulto. O mestre, percebendo o desconforto da comunidade dos monges, resolveu chamar a atenção do monge rebelde determinando-lhe que ficasse num alojamento a parte para que refletisse sobre a sua conduta. Contrariado, mas obediente, o monge aceitou a ordem e foi levado ao tal alojamento.
    Passaram-se algumas semanas e o monge ainda estava no mesmo aposento, onde lhe levavam diariamente comida e água que eram deixadas em uma abertura da porta. Todo esse tempo de ...
    CONTINUE LENDO...

  • Autor desconhecido
    A montanha

    Certo senhor, acompanhado por sua filhinha, ia subir uma montanha muito alta. Sugeriu que a menina fosse à frente e ele atrás.
    Ela começou a subida com muito entusiasmo, pois queria mostrar ao pai como era forte e capaz. O caminho, porém, tornava-se cada vez mais íngreme e difícil e a menina, por isso, caía de vez em quando. Mas, por ser corajosa, levantava-se e punha-se novamente a subir. Os espinhos lhe rasgavam a roupa e lhe feriam a pele, mas mesmo assim, continuava a subir. Finalmente não pôde mais subir e levou um tombo cruel. Então, chorando, virou-se para o ...
    CONTINUE LENDO...