Será que as coisas boas ou ruins que acontecem com você não tem algum outro propósito? Essa reflexão te convida a pensar, a refletir:

 

Um dia um fazendeiro da aldeia foi pedir ajuda a um sábio e disse:

-Homem sábio, ajude-me. Uma coisa horrível me aconteceu. Meu boi morreu, e eu não tenho outro animal para me ajudar arar o campo! Essa não foi a pior coisa que poderia me acontecer?

O homem sábio respondeu.

Talvez sim, talvez não.

O fazendeiro correu de volta para aldeia e contou a seus vizinhos que o homem sábio ficara maluco. Estava claro que aquilo era a pior coisa que poderia ter lhe acontecido. Por que ele não percebia isso?

No dia seguinte, entretanto, um cavalo jovem e forte foi visto nas proximidades da fazenda do homem. Como ele não tinha nenhum boi para ajuda-lo, teve a idéia de aproveitar o cavalo no lugar do boi. Que felicidade para o fazendeiro! Arar o campo nunca tinha sido tão fácil. Ele voltou então ao homem sábio para se desculpar:

-Você estava certo, perder meu boi foi não foi a pior coisa que poderia me acontecer. Foi uma benção disfarçada! Eu nunca poderia ter capturado o meu novo cavalo se não fosse aquele fato. Você há de concordar que essa foi a melhor coisa que poderia ter acontecido.

O homem sábio tornou a dizer.

Talvez sim, talvez não.

“De novo não”, pensou o fazendeiro. “Agora não há dúvidas e que o homem sábio está enlouquecendo”.

Mais uma vez, porém, o fazendeiro não sabia o que o aguardava. Alguns dias mais tarde voltou ao homem sábio com a seguinte notícia:

-Meu filho estava andando a cavalo, caiu e quebrou a perna. Agora não pode mais me ajudar na colheita. O senhor há de concordar comigo que esta foi a pior coisa que poderia me acontecer, não acha?

E o sábio respondeu:

Talvez sim, talvez não.

O fazendeiro ficou decepcionado com o sábio e pensou: “Coitado! Ele já está velho e não sabe mais aconselhar. Claro que essa foi a pior coisa que poderia ter me acontecido!”

Passado uns dias, chegaram tropas no vilarejo para levar todos os homens jovens e saudáveis para uma guerra que tinha acabado de estourar. O filho do fazendeiro foi o único jovem que não teve que ir. E então o fazendeiro entendeu que aquela também não havia sido a pior coisa que lhe tinha acontecido.

Você só aceitará o sofrimento quando substituir a pergunta “por quê” pela pergunta “para quê”. Só assim você entenderá o propósito dos acontecimentos.

Tags:

COMENTÁRIOS

O seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios ;)

* Pergunta anti-Spam,