Confira agora alguns pensamentos e reflexões desde mestre da linhagem Sachcha e das tradições xamânicas cuja o nome significa Pai do Amor.

 

PENSAMENTOS E REFLEXÕES

“Durante a jornada, facilmente nos encantamos com as sensações e com tudo o que experienciamos, e nos esquecemos do poder, da presença que nos habita. Esquecemos que a vida é um mistério e passamos a acreditar que ela é apenas uma fórmula matemática. Somente começamos a lembrar quando verdadeiramente perguntamos: Quem sou eu? Quem habita esse corpo? Quem realiza esse jogo e porque estou me movendo dentro dele? Uma pessoa sensata faz essas perguntas. Essa sensatez é o início do resgate de si mesmo – você está começando a sentir a fragrância do mistério.”
“Se puder observar o que é transitório sem se identificar, você encontrou a saída do labirinto da mente. Utilize cada acontecimento da sua vida como material de escola que te ensina a desenvolver a habilidade de testemunhar e a equanimidade mental, que é permanecer no observador, sem se incomodar com o que está acontecendo fora – tanto na alegria como na tristeza você permanece o mesmo.”
“Um coração puro não julga. Ele não acusa e não compara, assim como não deseja. Um coração puro aceita e perdoa; agradece e ama. Ama de forma desinteressada. Um coração puro é aquele que só observa. Ele se expressa através de uma mente equânime, pois assiste as misérias e as alegrias sem se identificar. Através dele, o fluxo de vida e de amor não é interrompido. Ele está além dos dramas e dos jogos da natureza inferior, e sempre vibra em gratidão. Ele está sempre celebrando a vida (o sol, a lua, as estrelas, o vento, as flores, o sorriso…) e tudo que se expressa através do ser humano, porque compreende que tudo é sagrado; tudo faz parte do jogo divino. Esse coração é um símbolo que representa o seu Eu mais profundo.”

 

“O que é vital? Tornar-se espiritual; tornar-se o amor e a compaixão; transformar-se numa prece; transformar-se numa meditação. Então, tudo que você fizer será bom. As suas atitudes serão o amor em movimento. Eu chamo isso de serviço, de karma yoga. Você coloca seus talentos e dons a serviço do amor, sem nenhum interesse. Você não está tentando mudar o seu passado – não é uma reação. Você não está fugindo de nada. Você age a partir da presença e isso serve para qualquer coisa.”

 

“Eu saí de carro em um dia de chuva de granizo, e o carro ficou todo arranhado. Mas, quem escolheu sair de carro nesse dia? Eu escolhi; por isso a responsabilidade é unicamente minha. Não me canso de repetir: você não é uma vítima indefesa das influências nefastas do espaço sideral. Eu sei que pode ser difícil ouvir isso, e talvez você até fique com raiva de mim, mas preciso dizer a verdade: você está onde se coloca.”

 

“O amor desperto é um fluxo contínuo de compaixão; é quando podemos nos colocar no lugar do outro e sentir a dor dele; quando reconhecemos o potencial adormecido no outro e damos força para esse potencial se manifestar. É uma vontade sincera de ver o outro brilhar; de ver o outro feliz e satisfeito. É isso que eu chamo de ‘autêntico altruísmo’. A principal característica do amor desperto é a doação desinteressada. Assim como a flor espalha seu perfume e sua beleza gratuitamente; assim como o sol espalha o seu calor e a sua luz; assim como a chuva molha a terra, e a água mata a sede, a essência do ser humano ama.”
Talvez você não acredite no amor – talvez nunca tenha amado. Talvez você já tenha sentido uma brisa, algumas notas do perfume do amor, que pode ter se manifestado em relação a uma pessoa; alguém que acorda em você um sentimento que não consegue traduzir em palavras, mas que te eleva, te abre, e te faz sentir e viver coisas que até então você não acreditava que pudessem existir. Você fica feliz sem razão; confia sem razão. Você quer ver o bem do outro e torce por ele, muitas vezes, sem nem mesmo ter motivo para isso. É algo que desafia a lógica. Você não explica o amor, mas tem notícias de que algo assim existe. E é isso que dá sentido para a vida humana.”

 

 

O ego é um falso Eu

“O ego é uma falsa ideia sobre quem somos. E é o autoconhecimento que possibilita a integração do ego e o acesso à realidade de quem somos. Portanto é o autoconhecimento que possibilita a autorrealização. Por isso, abençoados sejam os momentos em que nos dedicamos às práticas que nos dão a chance de nos conhecer um pouco melhor. Abençoados sejam os seus esforços.”

 

Experiência na Terra

“A alma, ao encarnar para viver uma experiência material na Terra, fica atrelada ao corpo e à personalidade que, por sua vez, ficam atrelados ao tempo e terminam com ele. Mas as experiências vividas através da matriz corpórea ficam gravadas na alma e permanecem, na forma de tendências e imagens, para as próximas encarnações.”

 

O desamor gera DISTORÇÕES

“As distorções dos princípios vitais feminino e masculino, que se manifestam como agressividade e submissão, nascem da necessidade de retirar energia do outro. Energia significa amor – essa é a energia que alimenta o universo. O desamor é o que gera as distorções. Assim, a entidade humana, movida pelo desamor, passa a vida tentando conquistar o amor, mas tudo o que ela consegue é gerar mais desamor. O submisso gera mais ódio no agressivo porque ativa nele a violência do masculino distorcido; e o agressivo ativa ainda mais a submissão do feminino distorcido. Esse é o núcleo da guerra neste planeta.”

 

Seja fiel ao seu coração

“A experiência da liberdade e da unidade somente é possível quando você pode realmente seguir o seu coração.

Mas, isso é muito perigoso porque muitas vezes o coração vai contra tudo o que a sociedade determina e considera “correto”.
Mas, é preciso ser fiel ao coração.

Eu lhe convido a abrir os braços para esse perigo; eu lhe convido a ser fiel somente ao seu coração, a nada mais.”

 

Olhe para seus relacionamentos

“Existem momentos da jornada evolutiva nos quais acreditamos estar nos movendo em direção a realidade espiritual, mas estamos presos, estagnados em algum ponto. Mas como saber se, de fato, estamos nos movendo e não nos enganando? Muito simples – olhando para os nossos relacionamentos. Observando se estamos conseguindo manter o coração aberto para o outro; se estamos conseguindo ir além do jogo de acusações; se estamos conseguindo ver a luz que está por trás da sombra do outro e se já estamos podendo escolher desviar dos buracos que até então havíamos caído.”

 

Sua mente é apenas um veículo

“A mente deve estar a serviço do espírito. Porém, toda a miséria que vemos e constantemente experenciamos existe porque ocorre justamente o contrário: a mente se tornou a dona da casa. A mente é somente um veículo; um lugar de peregrinação tanto o Eu superior quanto o Eu inferior passam por ela. O Eu inferior se manifesta na forma de pensamentos destrutivos, que te fazem sentir separado, não pertencendo; Sempre que você se perceber sendo arrastado por tais pensamentos, acreditando ser um eu separado e rejeitado, lembre-se de se perguntar: Quem sou eu? Quem está contando essa história? Quem acredita na insuficiência e na impotência? Quem ainda precisa guerrear? Quem precisa botar o outro para baixo para poder se sentir forte? Quem precisa se sentir menos para tirar alguma coisa do outro? Então, quando puder identificar essas vozes como sendo oriundas do Eu inferior, você já terá obtido uma grande vitória”.

 

Nossos desafios

“Almas que têm um certo grau de consciência desperta, antes de encarnar, podem escolher onde irão nascer e quem serão seus aliados e protetores durante sua jornada. Elas também têm a chance de escolher os desafios que irão enfrentar. Isso ocorre porque a alma sabe que, nesse plano, a chance de adormecer é muito grande. Então ela também escolhe as dificuldades que a ajudarão a acordar quando a consciência estiver prestes a adormecer.”

 

Fontes: Pensador, PensoPositivo


 

Tags:

COMENTÁRIOS

Commentários fechados.