Reflexão

Cachorrinho fica tão feliz e animado por ver seu tutor uma última vez

A vida pode ser difícil mas pequenos atos de amor, amizade e solidariedade trazem conforto para a tristeza que acontece.

John Vincent é um veterano de guerra que reside em Albuquerque, Novo México. O homem tem um doce doguinho chamado de Patch descrito como calmo e meigo – um verdadeiro docinho de coco.

Homem e cão são bons amigos e grandes companheiros.

Infelizmente John precisou ser internado no Centro de cuidados paliativos para veteranos do hospital Raymond G. Murphy e Patch foi levado a um abrigo. Os amigos precisaram se separar.

John estava sofrendo com a falta de seu doguinho e fez um pedido especial: o homem queria ver seu amigo pela última vez. As equipes do abrigo e do Hospital concordaram e providenciaram o reencontro.

Quando chegou o tão esperado dia da visita, o dog foi levado pelos funcionários do abrigo em direção ao Hospital. Patch estava incrivelmente calmo, apenas curtindo o passeio – mas assim que o carro entrou na rua onde ficava o centro de cuidados paliativos, o cão mudou radicalmente:

“Mesmo que ele nunca tenha ido lá antes, ele colocou as patas na janela e começou a choramingar, e todo mundo ficou tipo: ‘Oh meu Deus, ele sabe, ele sabe o que está prestes a acontecer”, disse um dos funcionários do abrigo.

De alguma forma, Patch sabia que ele iria reencontrar seu grande amigo e estava ansioso.

Assim que se viram, foi como se os dois nunca tivessem se separado.

“Patch apenas o lambeu por todos os lugares e enterrou sua cabeça no peito de Vincent. Todo mundo ficou perplexo ao testemunhar isso.” contou um funcionário do abrigo.

A equipe do hospital ficou tão comovida com o reencontro que deixaram o cão passar o dia inteiro com seu tutor.

Ao presenciar esta comovente história, um voluntário do abrigo se dispôs a dar um novo lar para o cão. O homem, que também é veterano, quer garantir que John veja o seu amigo cão sempre que quiser e passe seu tempo restante na terra sentido todo o amor canino do seu doguinho.

Graças a empatia das pessoas, os dois amigos poderão curtir o tempo que resta juntos.

Fonte

© 2012 - 2023 Refletir para Refletir.Todos os direitos reservados.