Reflexão

Cão chihuahua conquista amor de garoto que foi adotado e tinha pavor de cachorros

Holly Brookhouser e seu marido Chris foram até a África Central buscar Marcelo, seu querido filhinho do coração, de apenas dois anos de idade.

A residência do casal em Arkansas estava repleta de  animais de estimação: cães,  gatos, um coelho e um ouriço, todos resgatados. Os  amigos do casal  ficaram receosos de que o pequeno pudesse não se adaptar aos pets e perguntaram: “E se ele não gostar de cães ou for alérgico a gatos?”

O casal havia sido alertado sobre a possibilidade de Marcelo ter dificuldades com patudinhos, conforme explic  Brookhouser: “Fomos avisados ​​durante o processo de pré-adoção e treinamento de que alguns dos gatilhos podem ser animais de estimação, então eu sabia que seria algo para ficar em guarda e estar pronta para isso”.

O garotinho estava inseguro com as mudanças drásticas em sua vida. Viajar para um lugar tão longe era algo diferente. Também não tinha intimidade com  seus novos papais e com o contexto que os cercava. Além do mais, só falava francês.  Holly Brookhouser, felizmente, conseguiu tranquilizar o filhinho, pois  havia aprendido a lingua francesa na faculdade e conseguia entender o pequeno.

Porém, quando  Marcelo chegou em sua nova casa e se deparou com os  cachorros  da familia,  ele  reagiu assustado,  gritando  e chorando sem parar,  demonstrando um medo irracional que beirava ao pânico, possivelmente relembrando alguma experiência traumática.

Inicialmente  o garotinho ficava  petrificado quando  os cachorros se aproximavam. Até mesmo  Mini, um dócil Chihuahua gerava uma reação de medo. Brookhouser, no entanto, estava preparada para vencer a resistência do pequeno e, amorosamente,  foi  aproximando o filho do tranquilo Chihuahua pois, nas palavras dela, sabia que “Mini é muito amigo de crianças.”

Para promover a interação do garotinho com os patudos a família passava muitas horas no pátio, brincando com os cachorros para que Marcelo se familiarizasse com os amigos. Macy (a filha adolescente do casal), que convive com Mini desde a infância, também participou das brincadeiras.  Brookhouser comentou que  seu marido  “ tentava fazer com que ele entendesse, em francês, o que estava acontecendo e, em inglês, apenas explicando as coisas”..

Ao fim de duas semanas Marcelo passou a confiar nos pets e tentou se aproximar dos gatos, mas como estes  eram mais ariscos, Brookhouser  perguntou ao garotinho se ele gostaria de segurar o cãozinho Mini e, para surpresa de todos ele respondeu: ‘Oui’.”

Assim que Holly colocou o animalzinho em seu colo, Marcelo foi cativado pelo amável e carismático peludo, nascendo uma amizade sólida e bonita, de uma criança com seu cão, conforme demonstram as fotos publicadas, especialmente, a que mostra Marcelo, com sua mãozinha  sobre Mini,  olhando carinhosamente para ele, que retribui com um doce olhar carinhoso. Amor puro!

Através do pequeno Mini, Marcelo passou a ter uma relação afetiva com os demais pets da familia.

Fontes:

Amo meu Pet

Rover


 

Autora
Lourdes Grings

Comentários

* Pergunta anti-Spam,

O seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios ;)

single.php

Mensagens do Bem

Que tal se inscrever na nossa news e receber mensagens transformadoras em primeira mão, no seu email?

© 2019 Refletir para Refletir.Todos os direitos reservados.