Reflexão

Essa mulher adotou as quatro filhas de sua amiga que morreu de câncer

“Amizade é quando você encontra uma pessoa que olha na mesma direção que você, compartilha a vida contigo e te respeita como você é. Basicamente, é aquela pessoa com quem você quer compartilhar os bons momentos e os maus, também.” Renato Russo

As amigas norte-americanas Liz Diamond e Laura Ruffino se tornaram inseparáveis desde a quinta série, e a amizade das duas seguiu pela vida toda até ambas se tornarem mulheres e mães.

Quando amadureceram, Liz era a dedicada mãe solo de 4 adoráveis garotinhas: Lilyan, Ella, Samona e Tara.

Já Laura estava casada com Rico Ruffino e era mãe de duas meninas. As filhas das duas mulheres também se tornaram grandes amigas e as famílias moravam perto uma da outra em Buffalo, Nova York.

Infelizmente uma tragédia veio assombrar ambos os lares.

Liz descobriu que tinha 12 tumores cerebrais e um deles já havia entrado em hemorragia. O diagnóstico médico era sombrio, o que deixou a mulher preocupada com o futuro de suas meninas. Então, ela fez o pedido mais difícil de sua vida a sua melhor amiga.

“Se alguma coisa acontecer comigo, quero que você crie minhas filhas”, disse Liz a Laura. “E eu apenas disse: ‘Tudo bem.’”

Em 4 de abril de 2015 Liz faleceu com apenas 40 anos “Liz nunca disse a suas filhas que ela era terminal, nunca. Foi o choque de uma vida” contou Laura. No dia seguinte, Laura cumpriu sua palavra e trouxe as meninas para morar em sua casa.

“Parecia que era da noite para o dia, de certa forma. Sentei no chão e choramos. Eu disse a elas que sentia muito e que seria a mãe delas. Então lembre-se, Liz nunca contou a elas, então elas não tinham ideia. Eu estava tentando fazer a transição, para ser como, sim, mamãe se foi, e eu vou ser sua nova mãe, foi muito difícil. E Ella disse: “Como chamamos você?” E eu disse: “Não sei”. Quero dizer, só porque você é um adulto não significa que você tenha respostas.”

O pai biológico das filhas de Liz, que não tinha contato com as meninas e de quem as duas mais novas não se lembravam, inicialmente concordou em ceder os direitos, depois mudou de ideia e finalmente assinou após cerca de um ano de processo. Não houve contato desde então.

As irmãs retratadas no quintal de sua casa, da esquerda para a direita: Tara, 14; Graça, 14; Lilyan, 7; Ela, 9; Isabella, 15; e Samona, 10

“Liz estava realmente preocupada que suas filhas não se lembrassem dela – e especialmente ela estava preocupada com Lilyan, porque Lily tinha cinco anos”, diz Laura. “Então prometemos a ela que manteríamos seu espírito vivo. Portanto, temos a foto dela em todos os cômodos; temos seus quadros pendurados por toda a casa; até mesmo nos quartos das meninas, elas têm pequenas fotos com luzes dentro delas… Nós realmente tentamos falar sobre ela e mantê-la em nossa vida tanto quanto podemos.’

“Agradeço a Deus e agradeço a Liz, porque me sinto abençoada” finalizou Laura sobre o pedido da amiga falecida, o desafio de criar 6 meninas.

Fonte

Fonte 2

Fonte 3

single.php
© 2012 - 2023 Refletir para Refletir.Todos os direitos reservados.
Normal