Reflexão

Estudante de 9 anos ensina vendedor de picolé a ler e escrever

Seu Francisco Santa Filho, de 68 anos, chegou a terceira idade sem saber ler e escrever pois nunca teve acesso a educação e precisou trabalhar desde muito cedo: com 12 anos começou a vender picolés, trabalho que segue fazendo até os dias de hoje.
Morador do município de Crato, no Ceará, o idoso trabalha em frente ao Colégio Diocesano. Conhecido carinhosamente como Zezinho, ele jamais imaginou que com quase 70 anos ia finalmente ser alfabetizado por uma professorinha muito especial, a pequena Bárbara Matos Costas.
Bárbara tem apenas 9 anos de idade e estuda no colégio onde seu Zezinho vende picolés. Após as aulas, a menina se dedica a ensinar o idoso e este momento foi flagrado pela psicopedagoga Risélia Maria, viralizando nas redes sociais.
“O Zezinho merece um dez!”, elogiou a professorinha, que não faz segredo sobre seus métodos de ensino. “As vezes, eu escrevo uma palavra com tracinhos para ele cobrir, como ‘picolé’ e ‘amor’. Também coloco as letrinhas para ele juntar”.
O idoso, antes das aulas, acreditava “não ter cabeça” para aprender mais nada mas agora comemora o seu progresso “Já sei assinar meu nome e juntar algumas letras. Ela me ensina aos pouquinhos e eu vou aprendendo devagar”.
A atitude da menina inspirou a psicopedagoga Risélia Maria a se dedicar a alfabetização de Zezinho “Quando eu vi a cena desta aluna ensinando a ele, isso me comoveu muito. Encarei como um aprendizado para mim enquanto educadora. Já era para nós termos tomado a iniciativa de ensiná-lo a ler e a escrever, pois faz muitos anos que ele vende picolé ali nas redondezas do colégio. Eu mesma sou ex-aluna da escola e fui ‘cliente’ dele na infância. Leciono faz mais de 30 anos. Precisou que eu presenciasse aquela cena para me tocar”, declarou Risélia.
© 2012 - 2023 Refletir para Refletir.Todos os direitos reservados.