Reflexão

Idosas enfrentam a solidão da velhice ao decidirem morar juntas

Maggie Shambrook sempre foi um membro produtivo da sociedade e durante sua vida teve uma carreira de sucesso e criou três filhos sozinha. Infelizmente quando chegou na terceira idade foi despedida. E como problemas raramente chegam sozinhos, com a falta de dinheiro ela também perdeu a casa onde morava.
“Perdi meu emprego e minha casa onde morava há 25 anos” desabafou Maggie. Ela também enfrenta dificuldades para achar um aluguel. “Gastar tudo com aluguel é realmente devastador”.
Infelizmente a história da idosa se alastra pela Australia, como o grupo de sem-teto que mais cresce. O saldo médio de aposentadoria de uma mulher na terceira idade é de US$ 157.000, em comparação com os homens que se aposentam com um valor médio de US$ 270.000.
Mas a fundação Sharing With Friends (compartilhando com amigos em tradução livre) pretende ajudar a resolver este problema, proporcionando às mulheres a oportunidade de comprar uma casa acessível e personalizada. A proposta é que cada uma das idosas invista 120 mil dólares na construção de alojamentos acessíveis e construídos especificamente para esse fim, compostos por cinco quartos individuais,  lavandaria, biblioteca e jardim.
A idéia promete solucionar algo muito além do problema de moradia: a solidão na terceira idade. Os idosos tendem a se sentirem sozinhos sem um grupo de apoio e com a moradia coletiva, as senhoras criam uma nova família.
“Não tenho família alguma, então o senso de comunidade é importante para mim” declarou .Barbara Symes, uma das residentes do alojamento.

Fonte

Fonte

single.php
© 2012 - 2023 Refletir para Refletir.Todos os direitos reservados.