Reflexão

Mãe viraliza ao mostrar comparação do corpo antes e depois de dar à luz gêmeos

O corpo da mulher sofre diversas transformações na gravidez e isso não é novidade para ninguém. Mesmo assim, pouco se fala sobre quais são as transformações após a mamãe dar a luz. A ficção também não ajuda pois as mulheres parecem iguais depois de terem seus bebês, em filmes e novelas. A sensação que fica para quem não passou pela experiência é de que tudo volta a ser como era antes no pós o parto.
Mas na vida real, é natural alterações (como barriga dilatada, flacidez, estrias) e estas diferenças geram inseguranças em diversas mulheres. Diferente das pessoas que buscam criar um mundo irreal e plástico nas mídias sociais, a norte-americana Nubbia compartilhou suas fotos do pós parto no Instagram e viralizou.
“38 semanas de gravidez de gêmeos versus 8 semanas pós-parto!” escreveu Nubbia.

“Sinceramente não tenho nada negativo a dizer. Eu amo meu corpo pelo que ele fez e pelo que ele me deu… meus preciosos anjinhos. ❤️” continuo a jovem mamãe. “MAS, também não vou dizer que amo essa versão de mim. ACEITO esta versão de mim com graça e amor. Isso faz sentido?”
A mulher, que costuma manter uma rotina saudável de alimentação e exercícios físicos, explicou que continua malhando não por desgostar do seu corpo – mas por ama-ló e querer se sentir cada dia mais saudável.
“Porque AMO meu corpo, como bem. 🍩 (equilíbrio 😘)
Porque AMO meu corpo, faço exercícios. 🏋🏻‍♀️ Porque AMO meu corpo trato-o com o RESPEITO que ele merece.”
E finalizou “Pratico o amor próprio e trabalho para uma versão melhor de mim mesmo porque AMO meu corpo, não porque ODEIO meu corpo! Então, vamos fazer isso juntos… Encorajo você a dizer algo positivo sobre você! ❤️”
“E escolhida por Deus pra gerar duas vidas de uma só vez.”, “parabéns por compartilhar o mundo real. é lindo e necessário respeitar os “traços” que vamos desenvolvendo porque é a nossa história!” e “Nossa, o corpo feminino é incrível, não é? 💪🏼💗” foram alguns dos comentários deixados pelos usuários na publicação.

Fonte

© 2012 - 2023 Refletir para Refletir.Todos os direitos reservados.