Reflexão

Marinha salva gatinhos sobreviventes e desesperados agarrados a navio afundando

A Tailândia, país do sudeste asiático, é conhecida por suas belas praias e por sua cultura apaixonante. Não poderia imaginar-se que, neste cenário exuberante, viveram-se momentos de tensão e conflito.

A quilômetros da costa tailandesa, um barco pesqueiro é acometido por um incêndio. Assim que perceberam, os oito homens que estavam ali presentes rapidamente comunicaram a marinha.

Felizmente, todos foram resgatados em poucos instantes por um barco próximo.

Momentos depois, a Marinha Real tailandesa moveu-se até o barco pesqueiro. A embarcação já estava prestes a inundar. Pouco sobrou com o grave incêndio.

Ao se aproximarem do barco, a equipe percebeu algo arrasador. Nem todas as vidas haviam sido salvas daquele incêndio.

Naquela embarcação prestes a afundar, havia pequenos gatinhos, aflitos com o que se passava ao redor.

Logo que depararam-se com a cena, a equipe não hesitou. Os homens bondosos que ali estavam apressaram-se para salvar aquelas pequenas vidas que necessitavam de socorro.

Corajosamente, Tattaphon Sai, um bondoso oficial da marinha,  nadou até o barco e resgatou cada gatinho, individualmente.

Os gatinhos agarraram-se às costas do rapaz, como num desesperado pedido de ajuda.

Assim que foram resgatados, a equipe serviu comida e água aos pequenos valentes.

Certamente, a Marinha Real tailandesa foi ainda mais admirada por toda a população.

Mesmo que recebesse elogios e aplausos, o corajoso oficial afirmou:

‘’Toda vida importa’’

De fato, nessa situação é possível perceber que não há vida menos importante. Mesmo as pequenas vidas, como dos gatinhos, merecem amor, zelo e afeto.

Fonte


 

Autora
Débora Barros Gonçalves

Comentários

* Pergunta anti-Spam,

O seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios ;)

single.php

Mensagens do Bem

Que tal se inscrever na nossa news e receber mensagens transformadoras em primeira mão, no seu email?

© 2019 Refletir para Refletir.Todos os direitos reservados.