Reflexão

Mulher que cuidava temporariamente de bebê foi contratada como sua babá

Brigas de família são comuns em todos os lugares. Na família de Braelyn não foi diferente. Com apenas poucos meses de vida, seus pais tinham acabado de se separar, e brigavam por sua guarda.

 

Um cenário nada acolhedor para um bebê. Felizmente, Braelyn encontrou um lugar seguro na família de Julie Long, que realiza acolhimento familiar para bebês há quase dez anos!

“Eu não sou a mãe dele, mas sou como uma mãe para ele”, afirma a mulher.

Nesse lar temporário, Braelyn pôde ter todo o afeto e cuidado que precisava. O pequeno permaneceu sob os cuidados de Julie até seus primeiros anos de vida. Apesar do contexto familiar tão difícil, a vida lhe reservou uma família cheia de amor, para que ele crescesse em paz e segurança.

Julie cuidava do lindo menino como se fosse seu próprio filho. Ela comenta:

“ Ele me chama de Mama Julie, o que eu amo. Não sou a mãe dele, mas sou como uma mãe para ele. A única mãe que ele conhece’’

No lar dessa família tão bondosa,  o menino pôde crescer alegre e confiante.

“ Eu amo fazer parte de todos os seus ‘primeiros’. Dá vontade de beijá-lo e dar-lhe abraços ”  afirma Julie.

Por fim, o processo judicial de seus pais biológicos chegou ao fim. O pai conquistou a guarda da criança, e assim Braelyn iria para o seu lar permanente.

Quando chegou o momento da despedida, a linda moça que cuidava do bebê, Julie Long, junto a sua família, preparou-se para entregar Braelyn aos cuidados de seu pai. Foi um momento difícil, pois todos haviam se apegado àquela criança tão doce.

“A parte mais difícil é dizer adeus, sem dúvida. Toda vez que passo por isso, passo por um processo de luto. Sinto que há pedacinhos do meu coração girando e eles não fazem ideia. Todos os nossos filhos adotivos têm menos de 4 anos, então a maioria deles não se lembra de nós” Afirma Julie sobre o trabalho de sua família.

Até que, em meio a despedida, o pai biológico anuncia uma surpresa. Ele convida Julie para ser a babá de seu filho. O homem não queria separá-los, uma vez que Julie havia sido como uma mãe para o menino.

É realmente lindo ver o laço que o bebê e sua cuidadora construíram.

Certamente, o pai de Braelyn tomou uma decisão muito sábia ao permitir que Julie e seu pequeno bebê continuassem juntos!

Fonte


 

Autora
Débora Barros Gonçalves

Comentários

* Pergunta anti-Spam,

O seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios ;)

single.php

Mensagens do Bem

Que tal se inscrever na nossa news e receber mensagens transformadoras em primeira mão, no seu email?

© 2019 Refletir para Refletir.Todos os direitos reservados.