Reflexão

O menino de seis anos que saciou a sede de mais de um milhão de pessoas

Todo mundo pode fazer a diferença!
Em 1991, aos 6 anos, o pequeno canadense Ryan Hreljac tomou conhecimento de uma dura realidade: através do seu professor, Ryan descobriu que diversas crianças na África não podiam ir à escola porque não tinham água. Apesar de muito jovem, ele percebeu que no seu país este problema não existia e achou injusto.
Então, mesmo sendo tão pequeno, ele desejou de todo o coração ajudar estas crianças e resolveu fazer o que estava a seu alcance.
Ryan começou perguntando para seu professor quanto custaria levar água para essas crianças e o professor contou sobre uma organização chamada WaterCan, que constrói poços artesianos na África por cerca de US $ 70 dólares.
O menino fez o que qualquer criança faria e correu para pedir ajuda a sua mãe. Porém, a resposta foi que se Ryan realmente quisesse ajudar, teria de ganhar o dinheiro com seu próprio esforço. Assim, ela deu ao filho tarefas domésticas em troca de alguns dólares por semana.

Após 4 meses finalmente Ryan conseguiu os 70 dólares mas então veio o choque de realidade: ao entrar em contato com a empresa, o pequeno descobriu que a construção do poço, na verdade, custava US $ 2.000. A mãe do menino não tinha todo este dinheiro.

Surpreendentemente esta situação não desanimou o pequeno herói, que decidiu fazer tarefas em todo o seu bairro para juntar o dinheiro necessário. A energia, fé e positividade do menino contagiaram irmãos, vizinhos e amigos – que também sentiram o desejo de ajudar.

Ryan, antes da sua missão, era uma criança tímida que tinha medo de falar em público mas movido por seu coração generoso, passou a movimentar as pessoas com entusiasmo e a apresentar o projeto em outras turmas da escola para atingir a meta de US $ 2.000.

Finalmente em janeiro de 1999 o menino conseguiu juntar todo o dinheiro e enviou para a WaterCan, então, o poço foi construído no norte de Uganda. Ryan acabou comovendo toda a sua comunidade e as pessoas decidiram se juntar para dar passagens para a Uganda de presente a ele, assim Ryan poderia ver o poço.

Quando Ryan chegou a Uganda ficou em choque pois os habitantes fizeram uma grande festa para recebe-lo, dançando alegremente ao redor do garoto. Ryan não sabia a diferença que havia feito na vida de todas aquelas pessoas, ele mudou suas vidas.

Impactado com o resultado de suas ações, Ryan elegeu como missão de vida construir mais poços para ajudar a melhorar a qualidade de vida de milhares de pessoas. Com apenas 10 anos de idade o pequeno grande garoto fundou a Ryan’s Well Foundation, uma organização sem fins lucrativos que construiu mais de 1.491 poços, 1.263 latrinas e ajudou 1.047.390 pessoas na África, América do Sul e Ásia a terem acesso à água potável.

Hoje Ryan é um homem de 29 anos que trabalha duro para ajudar cada vez mais pessoas com sua fundação. Recentemente ele declarou que “não há idade para a solidariedade”.

© 2012 - 2023 Refletir para Refletir.Todos os direitos reservados.