imagem-capa.php

Pesquisa revela o que as pessoas comem nos locais com as maiores expectativas de vida do mundo

Você já ouviu falar em zonas azuis?São as regiões com maiores expectativas de vida no mundo todo. Estas comunidades possuem um número de centenários muito acima da média mundial e idosos ativos, que desfrutam de uma boa qualidade de vida.
Você já ouviu falar em zonas azuis?São as regiões com maiores expectativas de vida no mundo todo. Estas comunidades possuem um número de centenários muito acima da média mundial e idosos ativos, que desfrutam de uma boa qualidade de vida.

“O que descobrimos é que as pessoas nessas regiões não só vivem mais tempo – cerca de dez anos acima da média – mas vivem melhor a sua velhice”, disse à BBC o cientista americano Dan Buettner.

  • O nome zonas azuis vem dos estudos iniciais dos demógrafos Gianni Pes e Michel Poulain, que na década de 90 usaram uma caneta azul para circular no mapa a região da Sardenha, na qual descreveram a primeira zona azul. Desde então, Dan Buttner tem liderado pesquisadores de várias áreas e estudado os hábitos de vida dessas comunidades.

As zonas azuis são:

Sardenha, Itália: local onde a maioria dos homens alcança a idade de 100 anos.

Ilhas de Okinawa, Japão: Descobriu-se que mais de 450 pessoas em Okinawa eram maiores de 100 anos de idade, o que rendeu à localidade o título de local mais saudável do mundo. Além disso, a expectativa de vida para as mulheres era de 86 e 78 para os homens.

Loma Linda, Califórnia: Os adventistas de Loma Linda têm uma das maiores taxas de longevidade do mundo. O pesquisador Dan Buettner definiu Loma Linda como uma zona azul, devido à alta longevidade e às práticas adventistas de saúde e à dieta vegetariana. Na cidade há um rigoroso controle na venda de fumo, álcool e carnes.

Península de Nicoya, Costa Rica

Icária, Grécia: O local com a maior taxa de pessoas que alcançam os 90 anos no planeta — aproximadamente uma em cada três pessoas chegam a essa idade. Constatou-se também uma taxa 20% menor de incidência de câncer, 50% menor de doenças cardíacas e praticamente nulas de demência.

Surpreendentemente os moradores das zonas azuis tem várias coisas em comum

Se você acha que para ter um estilo de vida saudável é preciso muito dinheiro saiba que as pessoas destas localidades levam uma vida muito simples, sem luxos ou grandes gastos, espia.

Eles não consomem leite ou refrigerante: “Muitas dessas pessoas que conseguiram ter uma vida tão longa só conheceram os refrigerantes há cerca de dez anos. E comem queijo, mas os que vêm de cabra ou pecorino, de ovelhas”, disse Dan Buettner.

Baixo consumo de alimentos processados: “A maioria dos alimentos que consomem vêm de plantas. Mas, acima de tudo, são alimentos não processados ?ou muito pouco processados”, disse Buettner

Eles dão preferencia a 3 alimentos básicos: folhas verdes (vegetais), oleaginosas (castanhas) e grãos.

Muito consumo de peixe e ovos mas pouca carne: “Eles consomem cerca de três porções de peixe por semana, a mesma frequência dos ovos. Mas comem pouca carne vermelha, cerca de cinco porções por mês”, disse Buettner.

Carboidratos sem excessos:“Eles comem carboidratos, mas não processados como bolos ou donuts, mas sim grão de trigo ou batatas”, disse o pesquisador.

Não dispensam um bom cafezinho: “Vimos que em algumas destas zonas azuis o consumo de café é bastante comum, especialmente porque o consideram um potente antioxidante”, acrescentou o pesquisador.

Bebem muita água: “Tomam, em média, seis copos de água e muitos deles têm, dentro de suas culturas, o hábito de tomar umas três porções de vinho por semana”, detalhou Buettner.

Comem moderadamente: nessas comunidades come-se moderadamente e após o jantar se permanece muitas horas sem comer até a manhã seguinte.

Bebem vinho: mas não se empolgue, o vinho listado aqui é diferente dos vinhos que encontramos nos supermercados.

“O vinho que eu tomo é puro, nada é adicionado. O vinho produzido comercialmente têm conservantes, que não são bons”, disse um morador da ilha de Ikaria de 98 anos de idade à BBC.

Além da dieta, outros fatores encontrados nesta pesquisa foram:

  1. Os centenários pegam bastante sol;
  2. Eles levam um estilo de vida tranquilo;
  3. Continuam sendo fisicamente ativos e cultivam hábitos que fazem com que estejam em constante movimento, seja trabalhando no campo ou cuidado do jardim.
  4. Uma atitude positiva em relação à vida e aos seus desafios;
  5. Além da interação diária com a família com quem vivem, os membros dessas comunidades mantêm uma rede social ativa na qual os centenários são valorizados por sua experiência e desempenham um papel central;
  6. Adotam diferentes estratégias para combater o estresse como sestear ou congregar, rezando ou visitando os vizinhos;
  7. Uma motivação clara para começarem o dia parece o ingrediente final, chamado por nomes diferentes, como “ikigai” para os nativos de Okinawa, ou “plan de vida” para os costarriquenses.

Fontes: BBC BBC2 Instituto de Longevidade


Gostou? Deixe um comentário abaixo! Sua opinião é muito importante para nós e possibilita a edição de assuntos voltados cada vez mais para os seus interesses.

single.php

Mensagens do Bem

Aqui tem!! Que tal se inscrever na nossa news e receber mensagens transformadoras em primeira mão, no seu email?

  • Sigam-me os bons!