Reflexão

Pinguim nada 8.000 km todos os anos para visitar o homem que salvou sua vida

A gratidão aquece o nosso coração para quem nos fez algum bem. É um dos mais belos sentimentos. Muitas vezes, a gratidão vem em resposta a um ato de generosidade inesperado.

A notícia a seguir é justamente sobre gratidão e generosidade.

João Pereira de Souza, de 71 anos, é pescador na Ilha Grande, cidade do Rio de Janeiro. Um determinado dia, o simples pescador encontrou um pinguim numa situação terrível. A ave estava coberta de óleo, e mal conseguia movimentar-se.

Ao ver a situação, o homem não hesitou. De forma gentil, João resgatou o pinguim, retirou todo o óleo preso em suas penas e cuidou dele até o momento da sua total recuperação. Após resgatada, a ave foi carinhosamente nomeada de Dindim.

Assim que Dindim se recuperou, João o conduziu ao seu lar. O pinguim foi levado à praia e nadou de volta para a sua casa.

Como um pai e um amigo verdadeiro, João demonstrou bondade sem esperar nada em troca. Sua atitude foi cheia de generosidade.

Esta história poderia ser encerrada aqui. Porém, meses depois, algo surpreendente aconteceu e o pescador foi tomado de emoção.

Dindim retornou à praia onde tudo começou! O pescador e a ave se reencontram e se cumprimentaram como amigos de longa data.

Não há tantos detalhes sobre onde o pequeno pinguim reside. Estima-se que ele está entre a costa do Chile e da Argentina. Sendo assim, Dindim viaja por volta de 8000 km até a praia da Ilha Grande. É um pinguim muito corajoso!

João esperava nunca mais vê-lo. Dindim retornou como uma grande surpresa. Depois disso, a ave tem visitado João por diversas vezes. Anualmente, como um encontro marcado, os amigos se reencontram.

João declara, admirado:

“Ele chega em junho e sai para voltar para casa em fevereiro e a cada ano fica mais carinhoso e parece cada vez mais feliz em me ver.”

João ainda declarou à TV Globo, emocionado:

“Amo o pinguim como se fosse meu filho e acredito que o pinguim me ama. Ninguém mais tem permissão para tocá-lo. Ele os bica se o fizerem. Ele deita no meu colo, me deixa dar banho nele, me permite alimentá-lo com sardinhas e pegá-lo.”

Esta história nos convence a dar tudo de nós para aquele que precisa de amor. Tal atitude pode nos presentear com amigos para toda a vida!

Fonte


 

Autora
Débora Barros Gonçalves

Comentários

* Pergunta anti-Spam,

O seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios ;)

single.php

Mensagens do Bem

Que tal se inscrever na nossa news e receber mensagens transformadoras em primeira mão, no seu email?

© 2019 Refletir para Refletir.Todos os direitos reservados.