Reflexão

3 truques psicológicos para impor respeito sem ser chato

Impor respeito não precisa ser uma atitude agressiva ou arrogante: você consegue definir limites com calma, sem fazer uma cena. Para ser mais respeitado pelas pessoas sutilmente, com que elas nem entendam direito o porquê te respeitam tanto, comece a utilizar as 3 dicas abaixo:

1) Expresse calma diante do conflito

Esta é uma das dicas mais importantes para impor respeito com as pessoas e demonstra muito poder: Quando alguém te agredir verbalmente, tentar te desestabilizar ou provocar, se mantenha calmo e confiante. Ao fazer isso você demostra total ausência de medo, se colocando quase como “inatingível”.

Esta atitude também te ajuda a se manter lógico, conservando a sua linha de raciocínio. Se deixar provocar ativa uma forte emoção no corpo, aciona a área “mais emocional” do cérebro e te faz  perder o “fio da meada”. Ao aceitar o descontrole do outro sem se alterar você se mantém no controle da conversa.

2) Abandone as muletas vocais como “hmmmm” “Ahhhhhhhh”

Sentir a necessidade de “preencher” lacunas em um bate papo é sempre dispensável mas, em um momento de embate, é algo a evitar a todo o custo.

Usar essas muletas vocais passa uma extrema insegurança, de que você tem medo dos “silêncios” na conversa. E se você está impondo respeito com alguém é fundamental passar segurança: os limites impostos só serão respeitados se a pessoa entender que você é forte e apresentará “resistência” ao que não concorda (mesmo que essa resistência seja apenas uma discussão). Pessoas inseguras passam fraqueza, a impressão de que aceitarão tudo e qualquer coisa sem lutar.

Outro ponto negativo é dar a impressão as pessoas de que você não sabe bem do que esta falando.

Precisa parar o discurso para lembrar de algo? Então, não faça barulhos, simplesmente pense em silêncio mantendo o olhar com quem você está conversando.

3) Se sinta forte

Nós podemos entender sobre linguagem corporal, verbal, comportamento e usar esse conhecimento para atingir nosso objetivo mas nada será mais poderoso do que a forma como você se sente. Quando nos sentimos de determinada forma, instintivamente agimos daquela forma e refletimos este sentimento.

Para ser forte você precisa trabalhar a sua auto estima. Ao se sentir poderoso, você transmitirá este sentimento para as outras pessoas e terá facilidade em impor respeito.

Mas se você tem baixa auto estima, eu tenho uma boa notícia para você: a sua auto estima não é feita de cimento e nem de concreto, ela é construída com os seus pensamentos e pode ser modificada a qualquer momento, basta você decidir fazer isso. Este tempo trabalhando a sua auto estima pode ser o melhor investimento da sua vida pois trará resultados em tudo o que você fizer. Trabalhe para entender que você não é melhor do que ninguém, mas é tão importante como todo o mundo.

Obrigada por me prestigiar lendo este artigo, espero de coração ter contribuído em alguma coisa na sua vida. Tenha um bom dia 🙂


Gostou? Deixe um comentário abaixo! Sua opinião é muito importante para nós e possibilita a edição de assuntos voltados cada vez mais para os seus interesses.

Comentários (11)

  1. Leituras desse tipo deveria ser presente no dia a dia dos jovens. Deveriam criar um App ou anúncios do tipo. Hj em dia Só aprendem pornografia e agrecividade. Infelizmente é o q o mundo virtual mais ensina

  2. Muito bom, trabalhar o auto controle e um caminho para firmar a auto estima, não é fácil, mas, as dicas são muito bem encaminhadas,. Parabéns!

    1. Li e gostei muito da matéria ,pois acredito no potencial das pessoas e o descontrole emocional é a maior brecha para que as pessoas peguem nossas fraquezas,!Parabéns gosto muito de matérias desse tipo!

  3. Boa Tarde,

    Excelente a iniciativa de através de frases, estimular a autoestima .
    Obrigada

* Pergunta anti-Spam,

O seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios ;)

single.php

Mensagens do Bem

Que tal se inscrever na nossa news e receber mensagens transformadoras em primeira mão, no seu email?

© 2019 Refletir para Refletir.Todos os direitos reservados.