Reflexão

4 Tipos de pessoas Tóxicas que destroem a sua autoestima

Você sabia que as pessoas com quem você mais convive tem um forte impacto na sua vida e, consequentemente, na sua autoestima?
Isso acontece porque somos animais sociais: a relação com outras pessoas é uma poderosa necessidade humana. E com grandes poderes, vem grandes responsabilidades…Mas a responsabilidade é sua, não das outras pessoas. Você precisa escolher para a sua vida pessoas que te puxam para frente, então, fique atento e ligue o sinal de alerta com esses 4 perfis:

1.O Competitivo

Ser competitivo e gostar de ganhar, em um jogo por exemplo, não é algo ruim. O competitivo tóxico é aquele que deseja ganhar de TODO o mundo em TODOS os aspectos da vida TODO o tempo! Sempre que alguém se destaca em alguma coisa, o competitivo patológico se sentirá atacado pelo brilho das outras pessoas porque ele acha que precisa ser o melhor.

Uma pessoa assim estará frequentemente te botando para baixo pois tem a necessidade de “te provar”  que ela é a melhor em tudo, então, tentará rebaixar as suas capacidades para se sobrepor.

2.A Vítima

Sabe aquela pessoa que é uma “coitada”, é chata pra boné, mas você releva porque tem pena dela?

E quem tem pena de você?

Conviver com uma “vítima do mundo” acaba com a sua autoestima porque você estará as voltas com os problemas dessa pessoa, se colocando sempre em segundo lugar, relevando atitudes tóxicas por achar que a tal pessoa é incapaz de lidar com a própria vida.

As eternas vítimas estão sempre se fazendo de coitadas, só enxergam os seus próprios problemas, não ligam (ou ligam muito pouco) para os problemas dos outros e “sugam” a energia alheia sem a menor gratidão. Elas acreditam serem as mais sofredoras e entendem que os outros tem obrigação de ajuda-las. Estas pessoas podem sim passar por problemas sérios, mas:

  1. Problema todo mundo tem. Você também deve ter problemas sérios na sua vida;
  2. As relações saudáveis são de ajuda mútua, ambos os lados procuram se apoiar. Ter problemas não confere a ninguém o direito de usar as outras pessoas.

3.O Crítico

Nada do que você faz está bom para o crítico, ele sempre verá algo “errado” e dará enfase no negativo, que ele provavelmente falará primeiro. As coisas boas do que você faz (mesmo que maiores) ele esquecerá de dizer ou falará superficialmente. E se você parar para analisar, verá que as críticas muitas vezes são fúteis, coisas irrelevantes, mas parece que esta pessoa está sempre procurando algo ruim para apontar.

Alguém te critica o tempo inteiro não está te fazendo bem porque te deixa inseguro, como se você só fizesse coisas erradas. Gera a sensação de que você não é bom o bastante, mesmo quando dá tudo de si. É quase impossível manter uma autoestima saudável convivendo com alguém que te desperta inseguranças diariamente.

Essa necessidade de criticar excessivamente pode ser o reflexo de uma baixa autoestima: a pessoa em questão “projeta” em você as suas próprias inseguranças. O resultado é baixar a sua autoestima junto com a dela.

E acredite, isso é comum.

4.O desvalorizador

Este perfil pode ser o mais tóxico de todos e fazer um “combo” com todos os perfis acima. O desvalorizador fará você acreditar que não vale tanto quanto ele e pior, se vocês fizerem parte de um grupo, ele pode contaminar a todos com a “opinião” de que você é inferior.

O desvalorizador não fala isso abertamente para você, mas por meio de atitudes ele comunica a você e ao restante do grupo que as suas necessidades são menos importantes.

Por exemplo, é aquela pessoa que:

  1. “Esquece” de te agradecer um favor
  2. Te responsabiliza por tudo de errado
  3. Dificilmente te elogia em público
  4. Quando alguém precisa ceder, adivinha? Ele acha que essa pessoa é você!
  5. Faz comentários sutilmente desagradáveis.

O desvalorizador pode fazer essas coisas de maldade porém, às vezes, ele realmente acredita que você é inferior e nem percebe o que está fazendo.

Mas, por que?

Pode ser algum conceito familiar herdado, preconceitos, inveja, projeção…Existem diversos motivos. A verdade é que não é nada sobre você, é sobre ele.

A maior tragédia é a pessoa que está sendo a “vítima” nesta relação acabar por acreditar que de fato é menos importante e nem perceber o que está acontecendo.

O que fazer se eu estiver convivendo com um dos 4 perfis?

Em alguns casos é bom se afastar mas, outras vezes, as coisas não são tão simples: também existem boas pessoas (pessoas amadas) que agem de forma tóxica. Elas podem agir assim por traumas, estão reproduzindo algum comportamento aprendido com os pais, por baixa autoestima, complexo de inferioridade…Enfim, em todos os casos os motivos variam.

Se alguém que você gosta se comporta dessa forma, o primeiro passo é identificar. Em seguida é preciso decidir entre se afastar ou aprender a impor limites com essa pessoa. Acredite: ao impor limites você não estará sendo rude, pelo contrário, ajudará a pessoa em questão a amadurecer emocionalmente.

E se você identificou em si mesmo um dos comportamentos acima lhe dou meus parabéns. É preciso muita humildade para ver comportamentos negativos em si mesmo. Como a humildade é rara, só lembramos do que fizeram com a gente e esquecemos de olhar com mais cuidado para nossas ações com os outros. E a maioria de nós já fez ou faz comportamentos tóxicos (sem se dar conta, afinal, não somos perfeitos) pelo menos uma vez na vida. Apenas pessoas maduras reconhecem os próprios erros e buscam corrigi-los.


Gostou? Deixe um comentário abaixo! Sua opinião é muito importante para nós e possibilita a edição de assuntos voltados cada vez mais para os seus interesses.

Tags:

Comentários

* Pergunta anti-Spam,

O seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios ;)

single.php

Mensagens do Bem

Que tal se inscrever na nossa news e receber mensagens transformadoras em primeira mão, no seu email?

© 2019 Refletir para Refletir.Todos os direitos reservados.