Os bons pais querem que seus filhos fiquem longe de problemas, tenham sucesso na escola e façam coisas incríveis quando adultos. Embora não haja uma receita definida de como criar crianças bem sucedidas, pesquisas na área de psicologia apontam para uma série de fatores que ajudam a prever o sucesso das crianças. Sem nenhuma surpresa, muito desses fatores dizem respeito aos pais.  Aqui está o que os pais de crianças bem-sucedidas têm em comum:

1. ELES DÃO TAREFAS À SEUS FILHOS

“Se as crianças não estão lavando a louça, isso significa que outra pessoa está fazendo isso por eles”, disse Julie Lythcott-Haims, ex-reitora da Universidade de Stanford e autora do livro “How to Raise An Adult ” durante um evento.

“E assim eles são absolvidos não só do trabalho, mas de aprender que o trabalho tem de ser feito e que cada um de nós deve contribuir para o melhoramento do todo”, disse ela.

Lythcott-Haims acredita que crianças acostumadas com tarefas passam a se tornar funcionários que colaboram melhor com seus colegas de trabalho, são mais empáticos porque sabem o que significa “trabalhar” e são capazes de assumir tarefas de forma independente.

“Ao fazer tarefas como :  tirar o lixo, dobrar a sua própria roupa – as crianças percebem que todos tem de trabalhar nessa vida “, diz Lythcott-Haims.

2. ELES ENSINAM SEUS FILHOS HABILIDADES SOCIAIS

Pesquisadores da Universidade Estadual da Pensilvânia e Universidade Duke rastrearam mais de 700 crianças de todo os EUA entre o jardim de infância até a idade adulta de 25 anos e descobriram uma correlação significativa entre suas habilidades sociais na infância e seu sucesso como adultos duas décadas mais tarde .

O estudo de 20 anos mostrou que as crianças que cooperavam, mesmo sem pedir, que eram útil para os outros, que compreendiam os sentimentos alheios e que resolviam seus problemas por conta própria, eram muito mais propensos a obter um diploma universitário e ter um trabalho estável aos 25 anos do que aqueles com habilidades sociais limitadas.

Os com habilidades sociais limitadas também tiveram mais chance de serem presos, beber em excesso e depender de serviços sociais do governo.

“Este estudo mostra que ajudar as crianças a desenvolver habilidades sociais e emocionais é uma das coisas mais importantes que podemos fazer para prepará-las para um futuro saudável”, disse Kristin Schubert, diretora do programa Robert Wood Johnson Foundation, que financiou a pesquisa.

“Desde cedo, essas habilidades podem determinar se uma criança vai para a faculdade ou prisão, e se eles acabam empregados ou viciados.”

3. ELES CRIAM GRANDES EXPECTATIVAS PARA SEUS FILHOS

Usando dados de uma pesquisa Norte Americana com 6.600 crianças nascidas em 2001, na Universidade da Califórnia em Los Angeles o professor Neal Halfon e seus colegas descobriram que as expectativas que os pais criam para o futuro dos seus filhos têm um enorme efeito sobre o que eles acabam realizando na vida.

“Os pais que viram a faculdade no futuro de seus filhos pareciam administra-los para esse objetivo, independentemente de seus rendimentos” , disse ele em um comunicado.

4. ELES ENSINAM MATEMÁTICA  À SEUS FILHOS DESDE CEDO

Um estudo com 35 mil crianças em idade pré-escolar nos Estados Unidos, Canadá e Inglaterra descobriu que desenvolver habilidades matemáticas precocemente pode se transformar em uma enorme vantagem.

“A importância de começar a escola já com um certo conhecimento dos números e outros conceitos matemáticos rudimentares – é uma das grandes descobertas que saíram desse estudo”, co-autor do estudo e pesquisador da Universidade Northwestern Greg Duncan disse em uma entrevista que “O domínio das habilidades matemáticas precoce prediz não só a realização futura da matemática, como também prevê a realização futura da leitura.”

5. ELES DESENVOLVEM UM RELACIONAMENTO COM SEUS FILHOS

Um  estudo concluído em 2014  com 243 crianças que nasceram na pobreza, descobriu que as crianças que receberam “cuidados sensíveis” nos seus primeiros três anos não só melhoram em testes acadêmicos na infância, mas tinham relacionamentos mais saudáveis e maior realização acadêmica ao 30 anos.

Conforme relatado no blog  “PsyBlog”, os pais que são sensíveis e atenciosos, que respondem prontamente e adequadamente aos sinais de seus filhos, acabam fornecendo uma base segura para as crianças explorarem o mundo.

“Isso sugere que os investimentos em relações precoces entre pais e filhos podem resultar em retornos de longo prazo que se acumulam nas vidas dos indivíduos”, disse o co-autor do estudo e psicólogo da Universidade de Minnesota, Lee Raby, em entrevista.

6. ELES ESTÃO MENOS ESTRESSADOS

De acordo com a pesquisa recente citada no The Washington Post , o número de horas que as mães passam com crianças entre 3 e 11 anos pouco influencia no comportamento, bem-estar ou realização da criança.

Além do mais, o comportamento de “mãe intensiva”, “estressada” ou “controladora” pode ser contraproducente.

“O estresse das mães, especialmente quando elas estão estressadas por causa do malabarismo que é trabalhar e cuidar das crianças, pode realmente estar afetando seus filhos”, disse o co-autor do estudo e Kei Nomaguchi, sociólogo da Universidade Bowling Green State.

O contágio emocional  – ou o fenômeno psicológico onde as pessoas “pegam” os sentimentos uns dos outros como se fosse um resfriado – ajuda a explicar por que.

A pesquisa é simples, mostra por exemplo que se você tem um amigo e ele está feliz, essa felicidade, esse brilho vai contamina-lo; Se seu amigo está triste, essa melancolia irá passar para você. Então, se um pai está exausto ou frustrado, esse estado emocional poderia se transferir para as crianças.

7. AS MÃES TRABALHAM FORA DE CASA

De acordo com a pesquisa da Harvard Business School , há benefícios significativos para as crianças que crescem com as mães que trabalham fora de casa.

O estudo descobriu que filhas de mães trabalhadoras frequentavam a escola por mais tempo, tinham maior probabilidade de ter um emprego em um cargo de supervisão e ganhavam mais dinheiro – 23% a mais em comparação com seus colegas que foram criados por mães que ficaram em casa.

Os filhos de mães trabalhadoras também tendiam a falar mais sobre as tarefas domésticas e os cuidados com a criança, segundo o estudo – eles passaram sete horas e meia mais por semana em cuidados infantis e mais 25 minutos em tarefas domésticas.

8. ELES DÃO À SEUS FILHOS NOMES SIMPLES

O que existe em um nome? Potencialmente o futuro do seu filho.

Uma série de pesquisas mostra o quanto seu nome pode afetar o sucesso da sua vida, desde a suas contratações, aos seus hábitos de consumo.

Em termos de carreira, as pessoas com nomes comuns e fáceis de pronunciar, têm tido mais sucesso.

9. ELES COMPREENDEM A IMPORTÂNCIA DE UMA BOA NUTRIÇÃO, HÁBITOS ALIMENTARES E FÍSICOS

Pessoas bem sucedidas reconhecem que bons hábitos alimentares podem ajudá-lo a se concentrar e ser produtivo ao longo do dia.

Como informou anteriormente a Tech Insider, a Dra. Catherine Steiner-Adair, psicóloga clínica familiar e infantil, e autora de livros como ” A Grande Desconectada: Protegendo a Infância e as Relações Familiares na Era Digital “,  disse que o desenvolvimento de hábitos alimentares em crianças que são Tanto mental como fisicamente saudáveis requer envolvimento dos pais.
Para ajudar seus filhos a desenvolver uma sensação de aceitação do seu corpo e uma auto-imagem positiva, ela diz que os pais precisam dar o exemplo, hábitos físicos e alimentares saudáveis influenciam os pequenos.

Fonte, tradução Business Insider

School image created by Pressfoto – Freepik.com


Gostou? Deixe um comentário abaixo! Sua opinião é muito importante para nós e possibilita a edição de assuntos voltados cada vez mais para os seus interesses.

Tags:

COMENTÁRIOS

O seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios ;)

* Pergunta anti-Spam,