Então, você provavelmente está certo. Vivemos em tempos onde ninguém quer entender o outro, as pessoas chegam a desfazer amizades por discordâncias. É como se a opinião oposta fosse uma ofensa pessoal que desperta agressividade, desprezo e mal-estar. Todos reclamam da falta de respeito alheio.

Se ninguém gosta dessa “torta de climão” então, por que a maioria age assim, indiferente do que se esteja discutindo?

Na minha teoria o problema mora na visão simplista que a gente tem dos outros, como mocinhos e bandidos: quem concorda comigo é do bem, quem discorda de mim é burro ou do mal. E, pessoas do mal não merecem ser respeitadas.

Ver as coisas dessa forma é decepção garantida pois ninguém concorda 100% com o outro.

Naturalmente é difícil alguém achar que está defendendo as coisas ou o lado errado, senão, não o estaria defendendo. Mas, mesmo achando estar certa, a pessoa precisa ter consciência de que não é senhora da verdade.

Infelizmente, é fácil cair na tentação de pensar “tenho plena certeza de que estou certo e quem discorda de mim é burro ou do mal”.

Aquele que age assim quer empurrar sua opinião para o outro de todo jeito: não aceita uma discussão saudável. A pessoa deseja falar do seu ponto de vista mas se recusa a ouvir o que o outro tem a dizer. E, o pouco do que ouve, desdenha, age com arrogância. Mas, as pessoas que debocham de uma opinião normalmente são aqueles que menos entendem do assunto discutido com profundidade…

E esse tipo de comportamento se torna um circulo vicioso. Pensa comigo: Você me diz que o céu é azul e eu te digo que ele é rosa com bolinhas verde limão. Você insiste que ele é azul e, então, como tenho certeza que estou correta, eu lhe respondo:

– só um idiota acharia que o céu é azul, você é ignorante por pensar assim.

Pronto, agora, mesmo se eu ver que o céu não é rosa com bolinhas verde limão, com que cara eu vou admitir que falei bobagem? Fui arrogante, te chamei de ignorante. Vou me sentir muito mal em assumir meu equivoco, o ego jamais me permitirá dizer que estava errada.

Mas, se eu tivesse sido mais humilde na minha argumentação, não me sentiria envergonhada em reconhecer o erro. Poderia até me sentir bem com isso.

Que fique claro: jamais diria para você concordar com o que não acredita ou se calar, apenas aconselho duas coisas:

  • Escute o outro com intenção de entender o que ele diz, não de responder. Após escutar, avalie se o que foi dito tem sentido para você e responda o que lhe parecer mais correto.
  • Não desça o nível da conversa para a agressão pessoal

Aceitando que o outro pode vir a ter alguma razão no que fala, não agredimos. Então, a possível discussão tem chances de se tornar de alto nível e produtiva. A humildade é a chave. Caso contrário, o resultado é a divisão das pessoas.

É saudável controlar nosso ego, senão, ele nos consome. 

Lembre-se: todos tem algo a ensinar. E todos nós precisamos aprender.


Gostou? Deixe um comentário abaixo! Sua opinião é muito importante para nós e possibilita a edição de assuntos voltados cada vez mais para os seus interesses.

Tags:

Comentários (1)

O seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios ;)

* Pergunta anti-Spam,